Destaques

Calder Alexandre

calder1
Escultor norte-americano, Alexander Calder nasceu a 22 de julho de 1898, em Lawnton, na Pensilvânia e morreu em 1975, em Nova Iorque. O pai era o pintor Alexander Stirling Calder. Viveu em São Francisco e em Nova Iorque e, em 1915, deslocou-se para New Jersey, onde frequentou o Stevens Institute of Technology, tendo obtido o diploma quatro anos mais tarde. Em 1923 e 1924 estudou no Art Students League de Nova Iorque, partindo depois, durante um ano para Paris. Realizou a primeira exposição em 1928, em Nova Iorque e, no ano seguinte, apresentou em Paris um conjunto de esculturas em madeira. 
Em 1932, Calder construiu uma escultura formada por elementos suspensos por fios que se equilibravam mutuamente, obra que marcou definitivamente uma viragem na sua obra artística. O artista dadaísta Marcel Duchamp designou-a por mobile. 
Nos mobiles, os elementos de metal colorido suspensos balanceiam-se delicadamente em círculos, movidos pela deslocação do ar, em velocidades várias e direções diferentes. É possível identificar nestes trabalhos a influência da pintura de Mondrian, na qual os elementos de cor parecem suspensos no espaço bidimensional da tela. A exploração do movimento real enquanto elemento primordial na produção criativa faz destes trabalhos exemplos de Arte Cinética. Um dos mais interessantes mobiles que construiu, "Covo de Lagosta e Cauda de Peixe", data de 1939. A escala e dimensão destas esculturas varia bastante, podendo chegar aos cinco metros, como é o caso do mobile executado para o Aeroporto JFK, em Nova Iorque. 
Posteriormente desenvolveu uma série de esculturas designadas "stabiles" que diferem das anteriores por estarem apoiadas no solo. Estes objetos são compostas por elementos simples, normalmente em metal, pintados com cores puras e intensas, transmitindo um forte sentido dinâmico na justaposição das formas e da cor. Exemplo deste período criativo são as esculturas "Sémaphore", de 1959, "La Vache Noire", de 1970 e "Obus", de 1972. 
Realizou ainda uma série de desenhos e pinturas com guache, como, por exemplo, o desenho "Aix", datado de 1953.

AddThis Social Bookmark Button