Destaques

Bairro da Aclimação

Grandes chácaras faziam vizinhança ao sítio Tapanhoim onde, em 1892, foi instalado o primeiro zoológico de São Paulo e o primeiro Posto Zootécnico do Brasil. Ambos foram criados pelo Dr. Carlos José de Arruda Botelho proprietário das terras. Ele, quando estudante de medicina em Paris, ficara, maravilhado com o jardin d'Acclimation... Tal jardim, além da exposição zoológica, tinha por objetivo a criação, reprodução e aclimação de animais dos mais variados tipos e habitats. O Dr. Botelho implantou o mesmo modelo em São Paulo.

De início, logo ao adquirir as terras do Tapanhoim, mandou buscar vacas na Holanda para fornecer leite ao paulistanos - e é de gado bovino a primeira exposição estadual que acontece no jardim da Aclimação.

O zoológico da Aclimação marcou época na capital. Todos os paulistanos queriam ir ao jardim da Aclimação para vê-lo. Desta forma o jardim, ou Parque, tornou-se marco do desenvolvimento do bairro. Ao expandir-se, algumas de suas Ruas foram recebendo nomes de pedras preciosas ou rochas nobres, como: Ametista, Diamante, Safira, Topázio, Turmalina, Ônix; e também nomes de planetas - Saturno, Urano, etc.

Em 1939 os herdeiros de Botelho (que passavam por dificuldades financeiras para a manutenção do Parque) venderam a área para a prefeitura e o então prefeito Prestes Maia transformou a região no Parque da Aclimação.

Na época em que a prefeitura comprou o jardim da Aclimação, a região ocupava 182.000m2 e perdeu parte dela para a construção de uma Biblioteca, a Concha Acústica, um play-ground e o Estádio Distrital da Aclimação. Hoje, o Parque ocupa 122.130 m2 e conserva seu antigo lago, grandes árvores centenárias e belos caramanchões.

Em 1940 foi criada a Paróquia da Aclimação, na Igreja Nossa Senhora do Carmo. O bairro foi se desenvolvendo ao longo do Parque, seguindo a tradição de calma do jardim, e se tornando eminentemente residencial com grandes casas cercadas de altos edifícios.

Em 1986, diante de nova ameaça de perder urna grande área a ser doada para a iniciativa privada, os usuários do Parque e moradores criaram uma Associação de Defesa do Parque da Aclimação, que conseguiu o tombamento do parque pelo patrimônio histórico. Hoje, o Parque da Aclimação é parte da vida dos habitantes da região. A partir das 6h da manhã começa a receber seus usuários de todas as idades, e até as 20h fica aberto ao público.

O Quebra Bundas

Do sítio Tapanhoim fazia parte o "Quebra Bunda". Que era assim chamada porque os escravos ditos vadios ali eram espancados até ficarem descadeirados - mediante o pagamento de uma taxa paga pelos senhores de escravos ao proprietário.

O inovador Botelho

O médico Botelho foi secretário da Agricultura de São Paulo e uma de suas grandes realizações foi dar início à imigração japonesa no Brasil. 
No grande zoológico havia leões, onças, jacarés, antas, cotias, tamanduás, carneiros, cabritos e ursos.

Na década de 20 o jardim da Aclimação foi atingindo seu ápice, até se tornar um acontecimento que deslumbrou a cidade. O acesso ao jardim se fazia por dois monumentais portões de ferro fundido. O principal ficava voltado para a avenida Aclimação e o outro, para a Rua Muniz de Souza. Ao entrar pelo portão da avenida, o visitante logo se deslumbrava com uma larga e bem cuidada alameda sombreada por árvores frondosas, que circundavam o largo em toda sua extensão, numa distância de dois quilômetros. Essa alameda estava dividida em duas partes: na maior ficavam as diversões (como o salão de baile, o rink de patinação e barracas de tiro ao alvo), o bosque e a vacaria; na outra estava instalado o zoológico.

Fonte: Mil Faces de São Paulo - Leviano Poncino - Editora: Fênix

São Paulo Antigamente | Fundação da Cidade de São Paulo | História de São Paulo | José de Anchieta | Manoel da Nóbrega | Tamanduateí Anhangabaú Largo São Francisco | Paissandú Largo | Praça da Sé |Praça da República | Praça Ramos de Azevedo | Praça Patriarca


AddThis Social Bookmark Button